Simetria, a primeira história

#48 "Nunca te queixes, nunca te expliques".

Olá. 

Hoje é sexta.

Na literatura, assim como na vida, às vezes, em situações críticas, precisamos fazer o personagem ouvir a mesma mensagem de esperança repetidas vezes - faz bem para ele.

Fiel ao parágrafo acima, mas contrariando a máxima de Churchill - “nunca te queixes, nunca te expliques”*, aqui vão alguns números desta A História da Sexta, desde seu primeiro envio, em 31 de julho do ano passado:

  • 47 histórias encaminhadas e publicadas;

  • 11.500 leituras únicas em e-mails (publicados ou não);

  • 37.800 leituras gerais (únicas + compartilhadas) em e-mails;

  • 48.000 leituras totais (únicas + compartilhadas + na página).

Gosto de repartir estes números: faz bem para mim.

*Never complain, never explain
Winston Churchill

Entre uma celebração, citações, a primeira história, goles e beijos, boa leitura e bom fim de semana.


SIMETRIA, a primeira história.

Miguel, fazia tempo, incomodava-se na repartição. Miguel não gostava de se incomodar na repartição. 

Ontem, Miguel incomodou-se na repartição. Não falou nada, arrumou simetricamente sua mesa de trabalho e foi para casa mais cedo.

Miguel, fazia tempo, incomodava-se em casa. Miguel não gostava de se incomodar em casa. 

Ontem, Miguel chegou mais cedo em casa e encontrou o portão aberto, as almofadas fora de lugar, o cachorro na rua, as luzes acesas e as crianças chorando. 

Ontem, Miguel matou a esposa, os dois filhos e o cachorro; colocou fogo na casa, salgou o terreno e, na saída, deixou um bilhete simetricamente pendurado no portão: na próxima vez, termino com tudo.

Vitor Bertini


Lembrou de alguém? Clica aí:

Share

Comentários? Diga lá:

Leave a comment


  • Por aqui, tudo é ficção. Lá fora, sei não;

  • Novidades? Breve, a cores;

  • Sexta-feira, dia 02, tem mais.