Velho Amigo

#36 Ontem à noite, insone, remexendo em velhas gavetas, recebi a visita do silêncio.

Olá.

Hoje é sexta-feira. Hoje é feriado.

Batidas na porta da frente // é o tempo
Eu bebo um pouquinho pra ter // argumento
Mas fico sem jeito, calado // e ele ri
Ele zomba do quanto eu chorei // porque sabe passar
E eu não sei

– Aldir Blanc

Entre um tempo, um silêncio, um gole e um bj, boa leitura e bom fim de semana.


VELHO AMIGO

Ontem à noite, insone, remexendo em velhas gavetas, recebi a visita do silêncio.

Velho amigo, normalmente é ele quem me escuta. Ontem, foi diferente: assustado com a vida, larguei as lembranças, fechei as gavetas e fiquei ouvindo.

Ele me contou de tempos difíceis, discorreu sobre cuidados, discursou sobre o medo e, quando esfreguei os olhos, já manhãzinha, cumprimentando o sol que chegava, foi embora, falando de esperança.

Depois, pensativo, recolhi as lembranças, enxuguei uma lágrima, fechei as cortinas e fui dormir.

Vitor Bertini


Lembrou de alguém?

Share


  • Filha do Millor, a frase “livre pensar é só pensar”, começa a ganhar linhas no meu canto no Twitter: @vitorbertini - you are welcome;

  • Notícia. Esta é uma publicação de ficção. Todos os personagens e suas circunstâncias são ficcionais. Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência.